Por que Deus amou o mundo?

Por que Deus amou o mundo?

Horário: 18h00

Pregador: Daniel Santos
Passagem: João 3.16
Mensagem 1 da série “Por que Deus amou o mundo?”

Antes da mensagem

Leia todo o capítulo 3 de João e faça as seguintes perguntas:

  1. Para quem as palavras desse texto foram dirigidas?
  2. Que assunto estava sendo discutido quando o famoso “João 3.16” foi introduzido no texto?
  3. Há alguma ideia ou palavra do capítulo 3 de João que causou algum impacto mais profundo em sua vida?
  4. Há alguma ideia ou palavra no capítulo 3 de João que você não entendeu?

Depois da mensagem

Nessa primeira mensagem aprendemos que a nossa definição de “mundo” é determinante para a nossa disposição de amá-lo como Deus o amou ou de nos isolarmos dele.

  • Qual é a sua definição de mundo?
  • Quais são os meios que você utiliza para se envolver como o mundo hoje?

7 Comentários

  1. Leticia

    Por que o Senhor diz que falar do amor de Deus não é a mesma coisa que amar o que Deus ama?

    • Daniel Santos Jr.

      Bom dia Letícia, obrigado pela pergunta.
      De fato, pode parecer um contra-senso dizer isso, mas creio profundamente que o ser humano é capaz de falar de muitas coisas que não crê e muito menos ama. Creio que os estágios são estes: 1) conhecemos sobre o amor de Deus revelado nas Escrituras, 2) aceitamos/cremos naquilo que a escritura diz e 3) começamos a amar aquilo que Deus amou. Falar do amor de Deus é algo externo. Amar o que Deus amou é algo interno.
      Pr. Daniel

    • Daniel Santos Jr.

      Bom dia Fábio, obrigado pela pergunta.
      Boa pergunta. Se pegarmos o Jo 3.16 isolado do seu contexto, é possível dizer que o amor de Deus está em proeminência. O ato de “dar o filho” é resultado do seu amor. Quando olhamos para os dois versos anteriores, parece-me que a “entrega do filho” era o foco da argumentação. Assim, acho que podemos explorar melhor essa passagem se usarmos para mostrar como o amor de Deus resultou em ações concretas e importantes: “para que não pereçam”.
      Pr. Daniel

    • Daniel Santos Jr.

      Bom dia Raquel,
      Muito interessante sua pergunta. Ainda que tenha sido uma situação passageira o envio das serpentes “abrasadoras” (é como o texto descreve) para picar os israelitas que murmuraram nos dias de Moisés (Números 12.9), a preservação e adoração idólatra dessa serpente durou por muito tempo. Lemos na Bíblia que até nos dias do rei Ezequias eles ainda guardavam e adoravam essa serpente de bronze:
      “Removeu os lugares altos, quebrou as colunas e derrubou o poste da deusa Aserá. Também fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés havia feito. Os filhos de Israel chamavam essa serpente de Neustã e até aquele dia lhe queimavam incenso.” (2 Reis 18.4 NAA).
      Então, respondendo sua pergunta, a serpente foi destruída nos dias do rei Ezequias por volta do ano 700 a.C. Considerando que o incidente relatado em Números aconteceu por vota do ano 1440 a.C., concluímos que eles guardaram essa serpente por mais de 700 anos.
      Pr. Daniel

Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *